Principais Características

  • Origem: China
  • Altura: macho – 30 cm; fêmea – 25 cm
  • Peso: macho – 6 kg a 8 kg; fêmea – 6 kg a 8 kg
  • Pelo: curto, fino e liso Cor: fulvo, prata, preto, damasco
  • Função original: cão de companhia

Origem e história da raça

Considerada uma das raças mais antigas do mundo, o Pug surgiu na China, durante a dinastia de Han ( A.C. 206-200) e fazia as delícias dos imperadores chineses e dos monges que habitavam nos mosteiros.

Tratados como realeza, os Pugs foram criados para desempenharem a função de cão de companhia. O seu aspeto peculiar despertou o interesse de outras casas reais e em 1500 chegou até à Europa pela mão de mercadores holandeses, tornando-se mais tarde o cão oficial da Casa de Laranja, depois de supostamente ter salvo a vida do príncipe William, alertando-o da iminente presença de soldados inimigos.

Outras figuras históricas relevantes como Maria Antonieta e Josefina Bonaparte também se deixaram encantar por este pequeno e compacto patudo, desfrutando com alegria da sua companhia. O interesse e admiração não se restringiu à realeza, mas chegou também às artes. No século XVIII surgiram alguns retratos onde o pequeno Pug ganhava lugar de destaque, pela mão dos pintores Goya e William Hogarth.

Em 1861 encontraram o seu lugar em Inglaterra e tornaram-se muito populares, em particular na era vitoriana, sendo que a própria rainha Vitória se rendeu também a estes patudos.

Surgem nos Estados Unidos depois da guerra civil e é reconhecido pelo American Kennel Club em 1885. Apesar do interesse pela raça ter em caído no século XX, alguns criadores continuaram a apostar na criação e rapidamente recuperaram a sua popularidade.

Temperamento do Pug

Se procura um companheiro que o acompanhe nas suas atividades físicas ou que adore correr no seu quintal, em busca dos brinquedos que atirou, este não será o cão ideal para si.

O que lhe oferece então o Pug ? Companhia, dedicação e momentos de humor!

Estes patudos adoram o conforto do lar e acima de tudo a companhia dos donos. Adoram agradá-los e há quem os apelide de sombra, uma vez que seguem a sua família constantemente pela casa. Têm alguns picos de energia, motivados pelo seu carácter amigável e divertido, mas não são cães ativos nem precisam de muita atividade física.

Gosta particularmente de silêncio? Bom, se for o caso deverá considerar a sua escolha. Como é habitual em cães com o focinho achatado, o Pug ressona, faz inúmeros barulhos e sofre de flatulência.

Tem outros animais de estimação? Não se preocupe! Os Pugs, por norma, são sociáveis com outros animais. Contudo, é sempre importante estimular a socialização desde cedo para que se familiarizem com outros animais e ambientes.

Caso tenha crianças, estes patudos são os perfeitos companheiros, pois adoram ser o centro das atenções e o contacto constante com humanos, para além de serem divertidos e suficientemente robustos para brincarem com crianças.

Como cuidar de um Pug

Devido ao seu focinho deformado, este exemplar requer alguns cuidados importantes. É crucial evitar ambientes demasiado quentes ou húmidos, uma vez que ele terá dificuldade em respirar e poderá inclusive colapsar.

Sempre que lhe der banho, algo que poderá ser feito mensalmente, deverá certificar-se que limpa e seca cuidadosamente as rugas faciais, para assim evitar infeções.

Os olhos demasiado salientes, assim como as gengivas deverão também receber atenção especial de forma a evitar infeções indesejadas.

Apesar do seu porte pequeno, os Pugs perdem imenso pelo. O ideal será escová-lo regularmente e limitar os banhos a uma vez por mês, para manter o pelo brilhante, saudável e reduzir a queda excessiva.

Adaptam-se facilmente à vida em apartamento, dado o seu baixo nível de energia. Todavia, deverá passear o seu cão regularmente, especialmente para manter um peso desejável e expô-lo a diferentes ambientes, pessoas e animais. A socialização é crucial em todas as raças se deseja um cão equilibrado e estável.

Saúde do Pug

Principais Preocupações: aparelho respiratório

Vistos ocasionalmente: displasia de quadril e cotovelo, epilepsia, degeneração dos nervos, úlceras na córnea, alergias, luxação patelar, olhos secos

Exames Sugeridos: quadril e olhos

Esperança média de Vida: 14-15 anos