Principais Características

  • Origem: Inglaterra
  • Altura: macho – 45 a 53 cm; fêmea – 43 a 50 cm
  • Peso: macho – 15 a 27 kg; fêmea – 13 a 22 kg
  • Pelo: curto e duro       Cor: vários tons ( castanho, cinza, branco, preto)
  • Função original: cão de luta

Origem e história da raça

Primeiramente é importante esclarecer que o termo Pit Bull não é uma raça reconhecida, mas sim a designação utilizada para se referir a exemplares que partilham determinadas características, como o American Pitbull Terrier, American Bulldog, American Stafforshire Terrier ou outras misturas.

A história destes patudos não é, infelizmente, feliz. Retornemos ao século XIX, em Inglaterra. Nesta época, era comum, um pouco à semelhança da Roma Antiga, a prática de lutas entre cães e animais selvagens, nomeadamente touros e ursos. Como tal, os ingleses criaram cães fortes, agressivos e capazes de tolerar a dor, especificamente para esta atividade, ao cruzar bulldogs com terriers.

A prática foi posteriormente proibida, contudo, os simpatizantes da mesma continuaram a praticá-la, desta vez entre cães. Apesar da sua ilegalidade, as lutas entre cães ainda são uma realidade em todo mundo, contribuindo para a má reputação que estes exemplares têm, fruto da irresponsabilidade dos donos.

Em meados do século XIX foram levados por imigrantes para os Estados Unidos, onde desempenharam inúmeras tarefas, desde cão de companhia, pastoreio, cão de guarda da propriedade, protegendo-o de animais selvagens e intrusos, cão de caça de animais de porte grande e cão de luta. O cruzamento com outros cães originou, nos Estados Unidos, exemplares um pouco maiores distinguindo-se dos britânicos.

Em 1898, o UKC atribuiu o nome American Pit Bull Terrier aos exemplares conhecidos por bull dogs, e em 1930 o AKC reconheceu a raça, mas optou por atribuir-lhe um nome diferente, American Staffordshire Terrier, com o objetivo de se distanciar do seu passado sangrento.

Temperamento do Pit Bull

Como sabem, a decisão de adotar ou adquirir um cão deverá ser sempre muito ponderada. O futuro dono deverá considerar se tem disponibilidade para treinar o novo companheiro e dar-lhe a atenção e cuidados que o mesmo necessita.

Outro aspeto relevante é conhecer as características do potencial cãopanheiro, isto porque todas as raças são diferentes, com personalidades e necessidades distintas. Logo, é crucial perceber qual se adequa melhor a si. Este aspeto é especialmente importante quando se trata de raças consideradas potencialmente perigosas.

Desencorajado? Receoso? Bom, a verdade é que não podemos ignorar a genética do pit bull. Este foi criado propositadamente para lutas, como tal, é natural que tenha potencial para ser agressivo. A palavra-chave é potencial! Não significa que o seu cão irá ser automaticamente um cão agressivo. O que deverá ter em consideração é que o mesmo precisará de bastante atenção, treino e controlo, para garantir o seu equilíbrio.

Foquemos-mos sim nas suas qualidades, pois estas são inúmeras!

Ao contrário do pensamento geral, os pit bulls são muito dóceis para com as pessoas, adoram atenção e agradar os donos. Não são, por essa mesma razão, indicados como cães de guarda, pois apesar do seu aspeto imponente, o seu instinto inicial é receber as pessoas com entusiasmo.

A sua agilidade, porte atlético e carácter obediente são também o que os torna um alvo fácil de pessoas mal-intencionadas, que procuram utilizar estes cães para lutas. Este potencial genético, sempre presente na sua história, levou a que estes patudos ganhassem uma reputação muito negativa e fossem até banidos em alguns países ou sujeitos a regras rígidas.

Respondem muito bem ao treino, como tal, é crucial que iniciem treino de obediência e socialização desde cedo, para que seja possível controlar o seu potencial agressivo.

Adoram crianças e são muitas vezes considerados babysitters perfeitos! Todavia, a supervisão dos pais é sempre aconselhada, assim como ensinar às crianças como interagir de forma adequada com qualquer cão, em particular com cães de porte grande.

São cães incrivelmente devotos e leais aos seus donos, bastante carinhosos, procurando agradá-los constantemente. Apesar do seu porte grande, estes patudos atingem a maturidade consideravelmente tarde, a partir dos 2-3 anos de idade, portanto tenha em conta que a fase infantil e tudo o que esta acarreta, durará um pouco mais num pit bull.

Como cuidar de um Pit Bull

Tenho um pit bull e agora? Mais uma vez não se assuste! É verdade que não é um cão para todos. O ideal é ser um dono experiente, em particular com cães de porte grande, firme, paciente e com disponibilidade para o seu novo companheiro.

Reúne todos os requisitos? Então prepara-se para esta nova etapa da sua vida. Estes exemplares adaptam-se bem a viver em apartamentos desde que possam exercitar-se devidamente todos os dias. Precisam de 40-50m de exercício diário, seja em forma de caminhada rápida, corrida ou jogos que estimulem a componente física e mental.

Gosta de correr? Ou andar de bicicleta? Leve o seu cão consigo e aproveite para reforçar a relação de confiança entre ambos!

Tal como acontece com todas as raças, o treino é um fator crucial para criarmos cães equilibrados. No caso de cães potencialmente perigosos é ainda mais relevante. Não é possível ignorar a componente genética do animal. Contudo, isto não quer dizer que será um cão agressivo. Significa apenas que tem potencial para tal, por isso cabe aos donos darem-lhe as ferramentas necessárias para o controlar – sujeitando-o a treino de obediência, socialização constante, práticas regulares de exercício físico e supervisão.

Caso tenha um quintal, poderá soltá-lo estimulando a corrida, prática de jogos, ensino de truques, etc…ou seja, atividades que direcionem o seu foco para o trabalho e aprendizagem, permitindo o bem-estar físico e mental.

São cães caseiros que requerem e desejam a atenção da família., por essa razão não devem ser esquecidos lá fora, pois poderá despoletar comportamentos indesejados. Uma vez que gostam de mordiscar, é importante que tenham sempre à disposição brinquedos resistentes para o efeito.

Na rua deve passeá-lo respeitando as regras, usando trela e açaime. Tenha também em conta que terá de lidar com o comportamento ou julgamento das outras pessoas, uma vez que a maioria da população receia estes cães.

O pelo requer poucos cuidados. Evite banhos regulares, apenas quando necessário e escove-o semanal para manter o pelo limpo e brilhante.

A saúde oral não deve ser ignorada, pois poderá conduzir a outros problemas. Escovar os dentes 2 a 3 vezes por semana será o ideal, assim como cortar as unhas sempre que necessário. Se o fizer desde cedo, rapidamente se habituará a estes procedimentos, tornando-se uma prática comum e fácil de aplicar.

 Saúde do Pit Bull

Principais Preocupações: nenhuma

Vistos ocasionalmente: displasia do quadril, alergias, hipotiroidismo, doenças cardíacas

Exames Sugeridos: quadril, coração

Esperança média de Vida: 12-14 anos