Principais Características

  • Origem: África do Sul
  • Altura: Machos – 63,5cm a 68,5cm         Fêmeas – 61 a 66cm
  • Peso: Machos – 35kg                                   Fêmeas – 35kg
  • Pelo: curto                                                      Cor: creme e avermelhado
  • Função original: cão de caça, cão de guarda

Origem e história da raça

Peguem nas vossas malas e viajem connosco até à África do Sul para conhecermos a origem do Leão da Rodésia.

Mergulhemos no século XVI, época em que os primeiros exploradores Europeus iniciaram a demanda das descobertas e rumaram até à África do Sul, onde encontraram a tribo Hottentot, a qual vivia com um cão semi-domesticado.

Musculado e atlético, detentor de uma marca distintiva peculiar – uma crista de pelo que nasce na direção contrária do restante – o Leão da Rodésia foi criado pelos agricultores Boer com o intuito de responder às necessidades de caça naquele local inóspito.

Como tal, este exemplar era capaz de suportar condições climatéricas adversas, caminhar pela densa selva africana, aguentar várias horas sem água ou comida e auxiliar os caçadores ao encurralar presas feridas de porte grande, como leões ou javalis.

Tinham também a função de proteger as quintas no período noturno, de animais selvagens ou ladrões e atuar como protetor da família.

Na primeira metade do século XX foram importados alguns exemplares para os Estados Unidos, mas só depois da Segunda Guerra Mundial se tornaram mais populares, sendo levados também para o Canadá e Reino Unido. Em 1955 foi finalmente reconhecido como raça oficial pelo AKC.

O Leão da Rodésia que conhecemos hoje resulta de uma mistura entre os cães dos agricultores Boer, com a sua crista bem distinta, e alguns cães de porte grande europeus, tais como os greyhounds, mastiffs ou dogue alemão.

Atualmente, em alguns países, ainda são utilizados como cães de caça e recolha de presas ou objetos, mas também são ótimos cães de companhia e muito bem-sucedidos em competições de agilidade, obediência ou rastos de sangue.

Temperamento do Leão da Rodésia

Se é um dono inexperiente e procura o seu primeiro cão, este exemplar talvez não seja a melhor opção para si, devido ao seu porte grande, força e à firmeza necessária para o educar.

Mas não se assuste, o Leão da Rodésia é um animal gentil, muito dedicado e protetor da sua família. Tem bastante energia enquanto cachorro e na fase adulta mostra-se um patudo mais calmo, confiante e muito inteligente.

Geralmente reagem bem à presença de outros animais que tenham sido criados com eles, nomeadamente outros cães ou gatos, apesar de nem sempre reagiram bem à presença de outros machos, caso não sejam castrados nem à presença de pessoas estranhas ao ambiente familiar ou outros animais, podendo até despoletar uma perseguição, dado o seu instinto de caça.

Se tiver crianças deverá estar também atento. O Leão da Rodésia é bastante tolerante com crianças, mas devido ao seu porte grande, poderá acidentalmente derrubar ou magoar uma criança pequena enquanto brincam.

Como cuidar de um Leão da Rodésia

Como é habitual, cães criados originalmente para caçar, tenderão a mostrar o desejo de perseguir animais de porte pequeno. Consequentemente, é crucial que eles sejam expostos a um treino de obediência e socialização desde cedo, não só a outros animais, como a vários odores e ambientes e assegurar-se que passeia o seu cão de trela ou que o mesmo esteja solto num local devidamente vedado.

Uma casa com um bom espaço exterior seria o ideal para satisfazer as necessidades do seu cão. Contudo, adapta-se bem a uma vida em apartamento, desde que faça exercício regularmente. Caminhadas longas e vigorosas, corridas ou jogos que envolvam buscar objetos e trazê-los de volta são cruciais para manter o seu cão equilibrado.

O estímulo físico e mental são igualmente importantes, uma vez que o Leão da Rodésia é um animal atlético e muito inteligente e a falta de exercício poderá deixá-lo aborrecido e despoletar no mesmo comportamentos destrutivos, como por exemplo cavar buracos.

Para manter o seu pelo brilhante e sem cheiro, deve escová-lo semanalmente e em seguida passar com uma toalha húmida.

Saúde do Leão da Rodésia

Principais Preocupações: nenhuma

Vistos ocasionalmente: displasia da anca e cotovelo, problemas dermatológicos

Exames Sugeridos: ossos, pele

Esperança média de Vida: 10-12 anos