SHAR-PEI

Shar-Pei

Principais Características

  • Origem: China
  • Altura: 45-50 cm
  • Peso: 20-27 kg
  • Pelo: curto e áspero
  • Função original: cão de guarda, cão de caça, cão de pastoreio e cão de luta

 

Origem e história da raça

Oriundo da China, o Shar-Pei é uma das raças mais antigas do mundo. Não existem dados concretos sobre a data exata da sua origem, sabe-se apenas que foram encontradas estátuas da Dinastia Han ( 200 a.C), semelhantes ao Shar-Pei.

Estes cães imponentes e peculiares desempenharam desde cedo inúmeras funções, desde cães de guarda, caça, pastoreio e cães de luta. A sua pele enrugada era uma vantagem, uma vez que dificultava o ataque de outros cães. Todavia, os responsáveis por esta prática começaram a utilizar cães mais corpulentos e agressivos que o Shar-Pei, provocando inúmeras mortes.

O destino do cão de língua azulada sofreria ainda mais um golpe com a ascensão ao poder de Mao Tsé-Tung e a criação da República Popular da China, a qual considerou os animais de estimação um luxo, ordenando a sua execução. Isto resultou no quase desaparecimento da população canina no país.

Graças a alguns amantes da raça, em particular Matgo Law, um número reduzido de exemplares foi levado para Hong Kong e Taiwan, numa tentativa de salvaguardar a espécie.

Em 1970 chegou mesmo a ser considerada a raça mais rara do mundo, pelo livro do Guiness, dado o número reduzido de examples, despertando a curiosidade do povo americano.

Em 1973 alguns destes cães foram levados para os Estados Unidos, mas apenas em 1991 a raça foi oficialmente aceite pelo AKC.

Ganharam assim popularidade, em particular como cão de companhia, uma vez que é um cão calmo, bastante fiel e protetor do dono. Porém, a procura crescente pela raça conduziu à criação desmedida por partes de criadores pouco fiáveis, negligenciando totalmente a saúde dos animais.

Isto levou à criação de Shar-Peis com características mais acentuadas, distinguindo-se bastante do original Chinês. O Shar-Pei americano tem a pele enrugada em todo o corpo, ao contrário do chinês que possui um porte mais atlético e tem rugas apenas no focinho, peito e base da cauda.

 

Temperamento do Shar-pei

Calmo, inteligente e persistente, o shar-pei desperta a curiosidade de todos, dada a sua aparência distinta.

Vivem bem em apartamentos, desde que sejam bem exercitados. São bastante asseados, como tal não terão dificuldades em treiná-los nesse sentido.

Dado o seu passado, é importante que socialize desde cedo com animais e pessoas, para evitar tendências agressivas, pois pode ser bastante desconfiado para com estranhos e outros animais.

Não é o cão ideal para donos inexperientes, uma vez que gosta de assumir a posição de líder.

 

Como cuidar de um Shar-Pei

Apesar do seu porte médio, o Shar-Pei é um cão calmo e necessita apenas de exercício físico moderado. Alguns passeios por dia, num passo acelerado serão o ideal para mantê-lo satisfeito e ativo.

Tem uma personalidade forte, como tal, é necessária alguma paciência para educá-lo. Devido à sua natureza dominante e agressiva, uma vez que foi também um cão de luta, é extremamente importante treiná-lo desde muito cedo.

A melhor forma de o fazer é expô-lo a diversos cenários, ambientes, pessoas, animais e crianças e aplicar sempre um tom firme, mas amigável ao longo do treino. O processo terá de ser consistente e contínuo, dada a tendência para querer assumir a figura de alfa.

Não é o cão ideal para famílias com crianças pequenas, pois não são muito pacientes com crianças mais ativas, barulhentas ou que os incomodem com frequência.

O seu pelo deve ser escovado semanalmente e após o banho, devem secá-lo muito bem, de forma a evitar possíveis infeções.

 

Saúde do Shar-Pei

Principais Preocupações: Febre do Shar-Pei que pode originar problemas inflamatórios, dermatológicos e respiratórios

Vistos ocasionalmente: displasia de quadril e cotovelo, artrite,

Exames Sugeridos: quadril, cotovelos, pele, pulmões

Esperança média de Vida: 9-11 anos

 

 

2019-05-08T20:24:27+00:00Maio 1st, 2019|Uncategorized|0 Comments

Leave A Comment