Principais Características

  • Origem: Portugal
  • Altura: macho – 52cm a 60cm Fêmea: 48cm a 56cm
  • Peso: macho – 20-27kg Fêmea: 16kg a 22kg
  • Pelo: curto e liso Cor: amarelo e branco
  • Função original: cão de caça

Origem e história da raça

Não existe consenso acerca dos antepassados do tão estimado Perdigueiro Português, também conhecido como Pointer. Contudo, a maioria dos estudiosos acredita que este descende do Perdigueiro Peninsular, cuja presença nos leva até ao século X.

Tal como acontecia na Grã-Bretanha, a caça era um desporto bastante apreciado em terras lusitanas, em particular pela realeza e durante bastante tempo, apenas as casas reais tinham esta raça como companheiro de caça e companhia.

O Perdigueiro tinha como função principal auxiliar os caçadores na caça de pássaros, localizando-os apontando para os mesmos, ganhando assim a denominação Pointer.

Despertou também o interesse de várias famílias inglesas que vieram habitar na região do Porto no século XVIII, e foi desta forma que o Perdigueiro chegou a Inglaterra, onde desempenhou um papel importante no desenvolvimento do Pointer inglês.

Em meados do século XX e após um grande declínio no número de exemplares desta raça, um grupo de criadores conseguiu reerguer o Perdigueiro e o seu padrão foi estabelecido em 1938.

Atualmente é ainda muito comum a sua utilização como cão de caça, mas tornou-se também um ótimo animal de estimação, capaz de animar e enternecer os seus donos.

Temperamento do Perdigueiro

Leal e dedicado, o Pointer adora brincar e agradar a sua família. Caso tenha crianças, é um ótimo companheiro, uma vez que é cuidadoso e carinhoso. Todavia, é sempre aconselhável supervisionar o contacto, de forma a assegurar que ambas as partes de comportam devidamente.

É bastante ativo e vivaz, portanto prepare-se para acompanhar este poço de energia se quer evitar chegar a casa e encontrar as suas peças favoritas destruídas. O Perdigueiro precisa de espaço, de atenção e acima de tudo de estímulo mental e físico para se sentir feliz e equilibrado.

É bastante curioso e persistente, mas revela-se um pouco tímido na presença de estranhos. Como é habitual, a necessidade de expor o seu animal a diversos ambientes, pessoas e animais é crucial para que este seja capaz de interagir facilmente com terceiros. Cabe ao dono dar-lhe as ferramentas para que possam desenvolver uma relação harmoniosa em família e com todos os que o rodeiam.

Como Cuidar de um Perdigueiro Português

Devido ao seu extraordinário potencial para a caça e espírito de trabalho, o Perdigueiro não é um cão para qualquer dono.

Este patudo necessita de exercício vigoroso diário, especialmente se for apenas um cão doméstico. O seu instinto de caça precisa de ser canalizado para outras atividades. Leve-o a correr, a nadar, atire bolas ou objetos para que este vá buscá-los, estimulando-o mentalmente e fisicamente.

Apesar de procurar o refúgio e descanso ao fim do dia junto dos donos, o Pointer precisa de se sentir útil, precisa de ter uma função para se manter ativo e assim evitar comportamentos destrutivos.

O seu desejo de agradar os donos, assim como o seu apuradíssimo olfato e inteligência, tornam-no um cãopanheiro fácil de treinar, caso seja utilizado o método do reforço positivo. Apesar do seu porte médio e elegante, é um cão sensível, que procura acima de tudo a atenção e aprovação da sua família.

Poderá viver em apartamento, desde que faça bastante exercício regularmente, mas o ideal é uma habitação com espaço exterior, para exercitar sempre que possível. Isso não significa que seja esquecido no quintal. Pelo contrário, é importante fazer exercício e desempenhar funções durante o dia, mas dar-lhe a atenção e carinho necessários sempre que possível.

Se pretende embarcar nesta aventura, pondere se dispõe de tempo para se dedicar a este patudo especial. É importante relembrar que a sua genética não pode ser ignorada e que se o mesmo não tiver oportunidade para exercitar devidamente ou desempenhar alguma tarefa para o manter ocupado, poderá conduzir a problemas comportamentais.

Uma vez que tem pelo curto, é comum a perda de pelo, em especial na mudança de estação. Como tal, de forma a minimizar a situação, é recomendável que o escove diariamente e que o apare sempre que necessário.

A limpeza das orelhas, assim como o corte das unhas devem ser regulares e aplicados desde cedo, para que o seu cãopanheiro se habitue a estas práticas de higiene.

Saúde do Perdigueiro Português

Principais Preocupações: nenhuma

Vistos ocasionalmente: displasia da anca, problemas congénitos

Exames Sugeridos: ossos, visão

Esperança média de Vida: 12 – 14 anos